“SURUBA COM TRAVESTI”

Áudios vazam e expõe “suruba” de travesti com PMs; “uma festinha”

Published

on

Em vários áudios que circulam nas redes sociais, uma garota e uma travesti que afirmaram ter participado de uma festa privada com integrantes da banda da Polícia Militar em Ribeirão Cascalheira comentaram a repercussão do caso. Uma delas chega a dizer que não ter medo de ser morta por conta do que contou.

Nos áudios, a mulher e a travesti falam sobre toda a repercussão do caso na imprensa e sobre como tudo aconteceu. Elas também criticam o preconceito relacionado ao suposto relacionamento sexual com a transsexual.

Ao ser questionada por uma terceira pessoa, a mulher responde no áudio que não há motivos para temer ser morta. “Eles vão matar a gente por que? Se foram eles que chamaram a gente para ir para o hotel deles. Ah, me poupe”, afirma a mulher no áudio.

Uma mulher e uma travesti usaram as redes sociais para contar que teriam “prolongado” a noite com integrantes da banda, após a apresentação do grupo em Ribeirão Cascalheiras no último final de semana. A jovem acaba dando detalhes íntimos e picantes do encontro que teve com o grupo de policiais.

Leia Também:  Servidores se organizam e fazem paralisação em MT; querem concursos e RGA

Ela afirmou que o vocalista da banda não quis ficar no quarto e foi dormir na viatura. Ou seja, não quis participar da “festinha”.

Na sequência, a mulher conta que durante o ato sexual, um dos policiais que estava do lado de fora, teria batido na porta e, posteriormente, na janela, o que fez com que ela interrompesse a relação. Ela finaliza a história contando ainda que os policiais teriam convidado as duas para visitarem Cuiabá.

OUÇA ÁUDIOS

 

Advertisement

CIDADES

Mesmo com decisão, paciente aguarda UTI

Published

on

Um paciente de 69 anos está internado na Policlínica do Bairro Pedra 90, em Cuiabá, com uma doença pulmonar grave, aguardando a transferência urgente para uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI). O quadro de saúde de Vicente Paulo de Araújo é gravíssimo. Apesar de uma liminar judicial determinar a transferência, o paciente continua correndo risco de morte no aguardo.

Por meio de nota, a Secretaria de Estado de Saúde (SES) informou que está a procura de vaga em leito de UTI via Sistema Único de Saúde (SUS) que atenda às necessidades do paciente e em cumprimento à liminar judicial, também está sendo feita a cotação do atendimento no âmbito privado, dentro e fora do estado de Mato Grosso.

Já a Secretaria Municipal de Saúde de Cuiabá informou que o paciente está recebendo toda a assistência médica necessária enquanto aguarda a vaga e já foi regulado como prioridade para a UTI. De acordo com a gerência de urgência e emergência da Central de Regulação, a primeira vaga de UTI que surgir no Hospital Municipal será dele.

Leia Também:  Pesca do pintado está permitida em MT

Segundo a família de Vicente, o quadro de saúde se agravou e os rins estão parando. Ele precisa ser transferido para uma UTI para fazer hemodiálise e colocar sonda.

Vicente está há quatro dias sem se alimentar, porque os médicos não podem passar a sonda alimentar enquanto o paciente não passar por hemodiálise, por causa do acúmulo de líquido no corpo.

Uma decisão da Justiça de Mato Grosso deferiu uma liminar determinando a transferência urgente do paciente pela central de regulação, em um prazo de 72 horas.

A decisão da juíza Gabriela Knaul de Albuquerque, do Juizado Especial da Fazenda Pública de Cuiabá, acionou as secretarias estadual e municipal de Saúde, informando a necessidade urgente de atendimento.

“Por conta de tal quadro clínico, a parte autora necessita ser imediatamente transferida para Unidade de Terapia Intensiva (UTI), em hospital do SUS que disponha de condições técnicas para dar suporte ao seu caso, sob pena de vir a óbito prematuramente”, diz trecho da decisão.

Leia Também:  Cidade de MT avalia "medidas severas" para conter avanço da Covid-19

Segundo o magistrado, verifica-se o receio de ineficácia do provimento se concedido somente ao final, pelo risco de morte do paciente. A determinação é sob pena de fixação de multa diária caso seja descumprida.

Continue Reading

CUIABÁ

VÁRZEA GRANDE

MATO GROSSO

POLÍCIA

MAIS LIDAS DA SEMANA